Hitos en los tests de seguridad sin animales

L'Oréal Portugal: Datas chave de avaliação de segurança sem recurso a testes em animais

Descubra mais sobre as datas chave no desenvolvimento de métodos alternativos.

Datas chave de avaliação de segurança sem recurso a testes em animais

Graças à engenharia tecidular

 

1979

1º MODELO DE EPIDERME HUMANA RECONSTRUÍDA

Pela 1ª vez a nível mundial, os biólogos da L'ORÉAL conseguiram reconstruir uma epiderme viva, a partir de células de pele humana.

 

1986

1º MODELO DE PELE HUMANA RECONSTRUÍDA

Pela 1ª vez a nível mundial, os biólogos da L'ORÉAL conseguiram reconstruir pele viva com uma epiderme viva e uma derme viva, a partir de células de pele humana.

 

1989

L'ORÉAL DEIXA DE TESTAR OS SEUS PRODUTOS EM ANIMAIS

O Regulamento Europeu só o irá exigir 14 anos mais tarde (2003).

 

1994

1º MODELO DE EPIDERME HUMANA PIGMENTADA RECONSTRUÍDA

Pela 1ª vez a nível mundial, os biólogos da L'ORÉAL foram capazes de reconstruir uma epiderme viva, a partir de células de pele humana, que é capaz de se bronzear.

 

1995

OS BIÓLOGOS DA L'ORÉAL RECEBEM O PRÉMIO AMALTHÉE DA OPAL EM FRANÇA

Pelo desenvolvimento e utilização de pele reconstruída in vitro em farmacotoxicologia cutânea.

 

1997

1º MODELO DE EPIDERME HUMANA RECONSTRUÍDA COM CÉLULAS DE LANGERHANS

Pela 1ª vez a nível mundial, os biólogos da L'ORÉAL conseguiram reconstruir uma epiderme viva, a partir de células de pele humana, que mostra o papel fundamental desempenhado por estas células especializadas em imunidade.

CRIAÇÃO DA SUBSIDIÁRIA EPISKIN EM LYON (FRANÇA),

EPISKIN, líder mundial em engenharia tecidular, oferece tecidos humanos reconstruídos à comunidade científica global (académica e industrial) para apoiar atividades de investigação e desenvolvimento de segurança e eficácia.

 

1998

VALIDAÇÃO ECVAM DO MODELO EPISKIN PARA AVALIAR A CORROSÃO CUTÂNEA

Reconhecimento oficial do nosso modelo EPISKIN para avaliar a corrosão cutânea.

 

1999

L'ORÉAL DECIDE ABANDONAR TODOS OS INGREDIENTES DE ORIGEM BOVINA

VALIDAÇÃO ECVAM DO MODELO EPISKIN PARA AVALIAR A ABSORÇÃO PERCUTÂNEA

Reconhecimento oficial do nosso modelo EPISKIN para avaliar se os ingredientes conseguem passar através da pele para a corrente sanguínea.

 

2000

CONSTRUÇÃO DO CENTRO EPISKIN EM LYON (GERLAND)

 

2001

VALIDAÇÃO ECVAM DO MODELO EPISKIN PARA AVALIAR A CORROSÃO QUÍMICA

Reconhecimento oficial do nosso modelo EPISKIN para avaliar o impacto dos químicos na pele.

 

2002

VALIDAÇÃO OCDE DO MODELO EPISKIN PARA AVALIAR A FOTOTOXICIDADE

Reconhecimento oficial do nosso modelo EPISKIN para avaliar o impacto da luz (incluindo UV) na pele.

 

2003

PROIBIÇÃO EUROPEIA DE TESTES EM ANIMAIS PARA PRODUTOS COSMÉTICOS

Proibição da comercialização de produtos cosméticos finais testados em animais.

 

2006

EPISKIN ADQUIRE A EMPRESA SKINETHIC

EPISKIN, a nossa subsidiária dedicada ao desenvolvimento de modelos de pele reconstruída, adquire a SkinEthic, uma especialista na área de engenharia tecidular, para ampliar o nosso conhecimento..

 

2007

VALIDAÇÃO ECVAM DO MODELO EPISKIN PARA AVALIAR A IRRITAÇÃO CUTÂNEA

Reconhecimento oficial do nosso modelo EPISKIN para avaliar a irritação cutânea.

 

2008

1º MODELO DE PELE HUMANA PIGMENTADA RECONSTRUÍDA

Pela 1ª vez a nível mundial, os biólogos da L'ORÉAL são capazes de reconstruir uma pele viva (epiderme + derme), com células de pele humana, que é capaz de se bronzear.

 

2009

PROIBIÇÃO EUROPEIA DA COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS COSMÉTICOS TESTADOS EM ANIMAIS

Proibição da comercialização de produtos cosméticos finais e ingredientes na UE, que foram testados em animais. No entanto, alguns testes sobre efeitos complexos na saúde ainda são possíveis (cancro, alergénios...).

 

2010

PRIMEIROS MODELOS DE PELE RECONSTRUÍDA PRODUZIDOS NOS NOSSOS LABORATÓRIOS EM XANGAI

VALIDAÇÃO OCDE DOS MODELOS EPISKIN E SKINETHIC PARA AVALIAR A IRRITAÇÃO CUTÂNEA

Reconhecimento oficial do nosso modelo EPISKIN para avaliar a irritação cutânea.

 

2011

INAUGURAÇÃO EM LYON DA EPISKIN, O 1º CENTRO DE AVALIAÇÃO PREDITIVA DA INDÚSTRIA COSMÉTICA

Este centro abriga mais de 75 biólogos numa área de 3670m² de laboratórios - incluindo 1000m² de salas limpas, onde são produzidos os tecidos reconstruídos. A cada ano, o centro produz aproximadamente 100.000 unidades de tecidos reconstruídos, e as suas plataformas avaliam milhares de fórmulas e centenas de ingredientes.

 

2013

PROIBIÇÃO TOTAL EUROPEIA DA COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS COSMÉTICOS TESTADOS EM ANIMAIS

A proibição total entra em vigor. Este é o fim do sofrimento animal por causa dos cosméticos.

 

2014

L'ORÉAL OBTÉM UMA LICENÇA PARA PRODUZIR PARA MODELOS DE PELE RECONSTRUÍDA EPISKIN NA CHINA

Foi concedida à L'Oréal uma licença na China para a Shanghai EPISKIN Biotechnology Ltd. O modelo EPISKIN chinês é um modelo de epiderme humana reconstruída a partir de queratinócitos asiáticos, produzido pelos laboratórios da L'Oréal na China de acordo com o mesmo padrão rigoroso de produção e critérios de controlo de qualidade como no Centro de Avaliação Preditiva da L'Oréal em Lyon, França.

EVOLUÇÃO DOS TESTES EM ANIMAIS NA CHINA

Alguns produtos fabricados e vendidos na China, tais como champôs, gel de banho e alguns produtos de maquilhagem, já não são testados em animais.

 

2017

VALIDAÇÃO OCDE DE 2 ALTERNATIVAS AOS TESTES EM ANIMAIS, DESENVOLVIDOS PELA L'ORÉAL, PARA AVALIAR A ALERGIA CUTÂNEA E A IRRITAÇÃO OCULAR.

Reconhecimento oficial dos nossos métodos alternativos para avaliar a alergia cutânea e a irritação dos olhos.

 

2019

ABERTURA DO CENTRO EPISKIN NO RIO DE JANEIRO (BRASIL)

Com o lançamento da EPISKIN no Brasil, os modelos de pele humana reconstruída e todos os métodos de avaliação de segurança associados estão disponíveis para a comunidade científica brasileira e sul-americana para testar os seus produtos.

 

2020

PARCERIA COM AFSA, PROGRAMA DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA DA HUMANE SOCIETY INTERNATIONAL (HSI)

A L'Oréal torna-se membro ativo do comité executivo da AFSA (Animal-Free Safety Assessment) após vários anos de colaboração científica.

Através da colaboração científica com a AFSA/HSI, podemos trabalhar em conjunto para promover métodos alternativos aos testes em animais através de formação, educação e ampla partilha de melhores práticas.

 

2021

EVOLUÇÃO POSITIVA NA CHINA SOBRE TESTES EM ANIMAIS

Desde 2014, alguns produtos fabricados e vendidos na China, tais como champôs, gel de banho e alguns produtos de maquilhagem, já não são testados em animais. Em Maio de 2021, caso esses mesmo produtos sejam importados para a China, já não vão ser mais testados em animais desde que apresentem um certificado de conformidade com as Boas Práticas de Fabrico do país onde são fabricados, e uma avaliação de segurança.

 

GLOSSÁRIO

Absorção percutânea: Passagem de substâncias através da pele, atingindo assim a corrente sanguínea

AFSA / Animal-Free Safety Assessment: Programa cientÍfico da HSI

Alergia cutânea: Uma reação imunológica tardia que ocorre após contacto repetido com uma substância sensibilizante do ambiente, um produto químico ou um produto cosmético.

Células de Langerhans: Células ligadas ao nosso sistema imunitário

Corrosão cutânea: Produção de danos irreversíveis cutâneos

Corrosão química: Destruição gradual da pele por produtos químicos

Derme: A camada inferior da pele

ECVAM: Centro Europeu de Validação de Métodos Alternativos aos Testes em Animais

Epiderme: A camada superior da pele

EURL-ECVAM: Laboratório de Referência da União Europeia para Alternativas aos Testes em Animais

Fototoxicidade: Irritação cutânea de origem química, causada pela luz, e que provoca uma resposta da pele que parece uma queimadura solar severa

HSI / Humane Society International: Uma das ONGs mais influentes em mudanças regulamentares a nível mundial na área dos métodos alternativos aos testes em animais

Irritação cutânea: Uma reação cutânea causada por um alérgeno, calor, ou certos medicamentos, e que se manifesta por inchaços na pele, descamação ou vermelhidão da pele, com comichão ou mesmo queimada

Irritação ocular: Reação que provoca vermelhidão ou sensação de ardor, que pode ou não ser reversível e que afeta a córnea ou a conjuntiva ocular

OCDE: Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico

OPAL: Trabalho de Assistência a Animais de Laboratório