Inovação em beleza: 5 marcos do pioneirismo em pesquisa e inovação da L’Oréal

O compromisso com a inovação faz parte do DNA da L’Oréal e está no centro do crescimento da Companhia desde sua fundação - por isso, o título de uma das três empresas mais inovadoras do setor de cosméticos pelo Prêmio Valor Inovação 2020 não vem por acaso. Apostando na ciência para desenvolver uma pesquisa robusta tanto no Brasil como no mundo, a L’Oréal coleciona marcos de inovação ao longo dos anos ao criar novos ingredientes ativos, desenvolver métodos alternativos e lançar tecnologias disruptivas para atender os consumidores.

“Em 2019, a L'Oréal, no mundo, investiu 985 milhões de euros em pesquisa, equivalente a 3,3% das vendas do Grupo. Hoje, temos uma poderosa organização de Pesquisa & Inovação com um nível de conhecimento e banco de dados científicos e técnicos que proporcionam ao Grupo uma vantagem competitiva real”, conta Delphine Allard, Diretora de Pesquisa e Inovação da L’Oréal Brasil. Relembre agora os principais marcos de inovação da empresa abaixo!

1) Aposta em método alternativo de testes em pele humana reconstruída por meio da Episkin

Sabia que o Grupo L’Oréal não testa seus produtos e matérias-primas em animais? A Companhia apostou em mais inovação por meio do método alternativo de pele humana reconstruída para testes. Ele é disponibilizado pela Episkin, uma empresa subsidiária da L’Oréal e líder mundial em bioengenharia de tecido. No país, o Episkin Brasil, por sinal, é o único laboratório das Américas e o terceiro no mundo a disponibilizar essa tecnologia!

Na prática, essa reconstrução é feita a partir de fragmentos de pele doados em cirurgias plásticas, de onde são extraídos os queratinócitos (célula responsável pela camada mais externa da pele). Eles são multiplicados em laboratório, crescem sobre uma membrana plástica e formam todas as camadas da epiderme.

Depois de três semanas, a pele reconstruída já pode ser usada para fazer avaliações de irritação, proteção solar, permeabilidade e potencial alérgico. Entre as vantagens desse método alternativo estão a precisão e assertividade dos resultados.

2) Uso da tecnologia Airlicium, desenvolvida pela NASA, para a linha de protetor solar para pele oleosa

Outro exemplo de inovação aplicada em produtos é a tecnologia Airlicium, desenvolvida pela NASA e patenteada pelo Grupo L’Oréal. A molécula, usada inicialmente para capturar poeira interestelar em operações espaciais, foi aplicada especialmente no Brasil para a linha de proteção solar Anthelios Airlicium, da La Roche-Posay.

Como um dos benefícios da tecnologia é a sensação de pele limpa, e a maioria da população brasileira apresenta o excesso de oleosidade como característica, a ideia foi aproveitar o uso do Airlicium na criação de um produto resistente, com textura que não pesa, não escorre e não derrete. 

3) Desenvolvimento do ativo Pro-Xylane® para combater o envelhecimento da pele

Ainda sobre ciência e pesquisa por trás de produtos, um dos grandes marcos de inovação da L’Oréal foi a criação do Proxylane® - ativo presente em produtos famosos como o Revitalift Laser X3, de L’Oréal Paris, Substiane, de La Roche-Posay, e também no Age Interruptor, de Skinceuticals. Obtido a partir da xilose presente na madeira de faia, uma árvore muito comum na Europa Ocidental, ele foi descoberto por pesquisadores da L’Oréal que buscavam descobrir moléculas capazes de remodelar a estrutura do tecido da pele - que é alterada com o passar dos anos pelo envelhecimento cutâneo.

Na prática, o Proxylane® desencadeia e estimula a síntese de mucopolissacarídeos (açúcares de cadeia longa, importantes para a formação de várias estruturas do corpo, como a pele), oferecendo elasticidade e mais tônus à cutis.

4) Criação do Sistema de Liberação de Óleos para eliminar odor na coloração

Já na área de hair color, um questionamento moveu os cientistas da Companhia: como eliminar o cheiro forte da amônia e garantir que o processo de coloração seja mais agradável à consumidora? Para oferecer uma solução a esse problema, pesquisadores da L’Oréal revisitaram a ciência das emulsões e desenvolveram um procedimento chamado Sistema de Liberação de Óleos (ODS - Oil Delivery System).

Assim, por meio da modificação do relacionamento entre a fase oleosa e a aquosa, foi possível substituir a amônia por um agente alcalino mais suave e sem odor, sem que houvesse perda na qualidade da coloração - e chegando até a realçar o visual. Inoa, de L’Oréal Professionnel, foi a primeira coloração de cabelos a se beneficiar deste impulsionador tecnológico em 2009.

5) Lançamento do webapp SkinConsultAI para identificar envelhecimento por selfie

Somando à lista, uma das inovações mais recentes da L’Oréal é o web aplicativo que permite identificar o envelhecimento da pele por uma selfie. Batizado de SkinConsult, o projeto desenvolvido pela Modiface, empresa de Realidade Aumentada e Inteligência Artificial adquirida pela Companhia, ele é o 1º algoritmo desenvolvido com alta precisão e validado por dermatologistas para mapear as rugas e sinais de expressão no rosto.

Na prática, o aplicativo faz um diagnóstico da pele classificando a gravidade de mais de 20 sinais do envelhecimento cutâneo em três passos que duram menos de um minuto no total - e você pode fazer o seu teste acessando o site www.vichy.com.br/skinconsult 

Redação: Raquel Carletto

Inovação em beleza: 5 marcos do pioneirismo em pesquisa e inovação da L'Oréal