Quebrando o tabu entre gênero e trabalho: conheça Colaboradores da L’Oréal Brasil que venceram os estereótipos da profissão

Mariana Moreira, Coordenadora de Operações, e Laercio Gomes, Maquiador de Lancôme contam sobre as situações e desafios em carreiras ainda estereotipadas.

“Lugar de homem”, “lugar de mulher”... quem nunca ouviu essas duas expressões carregadas de pré-conceitos para definir qual gênero deve ocupar um cargo ou função dentro de uma empresa? Por sorte, o debate sobre diversidade e inclusão faz parte do cotidiano da L’Oréal Brasil - por isso, não faltam histórias inspiradoras de Colaboradores como Mariana Moreira e Laercio Gomes. Ela, mulher e Coordenadora de Operações na L’Oréal. Ele, homem hétero e Maquiador de Lancôme. Ambos em universos bem diferentes, mas ligados por uma trajetória livre de estereótipos para mostrar que o lugar deles é onde quiserem estar. Continue lendo e se inspire!

“Mas o que uma mulher sabe sobre carregar caminhões?”

Parece absurdo, mas a frase acima foi apenas uma das que Mariana Moreira já teve de ouvir por causa do preconceito com a sua profissão - no entanto, sem se abalar. Atualmente Coordenadora de Operações no CD Caxias, ela conta que, justamente por conta dessas situações, faz questão de falar abertamente sobre o preconceito de gênero no contexto profissional. “Debato esse tema frequentemente com o time para que menos mulheres passem por isso”, destaca.

Apaixonada por desafios, Mariana viu na dinâmica da área de Operação a possibilidade de estar em constante transformação e, de quebra, poder influenciar positivamente uma parte da cadeia de valor tão importante para a Companhia. Hoje, em uma posição estereotipada como masculina, a rotina trouxe alguns desafios. “Como algumas pessoas ainda esperam ver um homem nessa cadeira, em algumas situações preciso provar que domino o assunto para ser ouvida em reuniões externas, por exemplo”, conta a Coordenadora.

Mesmo assim, realidades como essa precisam mudar, e Mariana, por sinal, é uma grande apoiadora da ideia (especialmente no seu contexto atual!). “O número de mulheres trabalhando em armazéns ainda é pequeno, e muitas pessoas acreditam que é uma questão de força física, mas a sociedade e o mercado de logística estão mudando - e ampliar o contingente de Colaboradoras no Caxias 1 é uma das minhas metas pessoais”, ambiciona.

“Nossa, mas você é hétero?”

Em um universo bem diferente do de Mariana está Laercio Gomes. Hétero, maquiador e trabalhando com maquiagem há quase 18 anos, ele conta que já sabe tirar de letra os comentários preconceituosos que percebe à sua volta. O segredo? “Procuro lidar de uma forma madura e com muita inteligência emocional, abstraio”, explica. Maquiador de Lancôme há 10 anos, Laercio diz que sempre se interessou pelo mundo da moda e produção pessoal, por isso, estudou e se especializou para embarcar de cabeça na área. “Quando me dei conta, já tava dentro do Iguatemi, aqui em São Paulo, trabalhando com maquiagem. Foi um caminho muito fluido, muito natural”.

Para ele, o preconceito com a figura de um homem hétero dentro do universo visto como feminino nada mais é do que o resultado de rótulos propostos pela sociedade, mas que certamente podem (e devem!) ser questionados. “Às vezes noto espanto em algumas pessoas que perguntam ‘nossa, mas você é hétero?’, ‘mas você namora?’, ou coisas do tipo. Então, sim, já surgiram essas situações, mas lidei com muita maturidade. Hoje é uma questão muito bem resolvida”, avalia.

Assim, com muito bom humor e leveza, o maquiador pondera que, para ele, seja qual for o gênero ou orientação sexual, a melhor maneira de combater qualquer estereótipo é mostrando profissionalismo e paixão pelo que se faz. “Existem muitos homens no universo da maquiagem, do cabelo e da moda, e hoje nos meus 38 anos - e 10 anos dentro da Lancôme -, vejo que o que realmente vale é a competência e o trato com os nossos clientes. Isso é o que faz toda diferença”, reflete.

 Quebrando o tabu entre gênero e trabalho: conheça Colaboradores da L’Oréal Brasil que venceram os estereótipos da profissão