Dia da Amazônia: conheça as iniciativas da L’Oréal Brasil

Dia da Amazônia: conheça as iniciativas da L’Oréal Brasil em prol da conservação da floresta amazônica e apoio aos povos na região

A L’Oréal Brasil está profundamente comprometida com a biodiversidade e o empoderamento das comunidades da Amazônia

A Amazônia dispensa qualquer apresentação: o maior bioma da América do Sul é conhecido por sua riqueza em biodiversidade e cultura. Apesar disso, são vários os desafios para a manutenção e conservação da sociobiodiversidade local. Em meio a um contexto de desafios ambientais e sociais, a L’Oréal Brasil reforça o seu compromisso com valorização da biodiversidade e empoderamento de comunidades locais.

Para a L’Oréal, a beleza do futuro será diversa e inclusiva, sustentável e inovadora, generosa e comprometida. Por isso, o desempenho econômico é inseparável do desempenho de responsabilidade social corporativa e a sustentabilidade está espelhada em todas as partes do negócio da Companhia.

No caso da Amazônia, as práticas ambientais, sociais e de governança da empresa, conhecidas como ESG, estão presentes desde o processo de extração da matéria-prima, respeitando o meio ambiente em parceria com cooperativas locais e projetos de protagonismo social, que promovem o desenvolvimento e capacitação profissional.

Quer conhecer um pouco mais dessas ações? Leia abaixo!

Dia da Amazônia: conheça as iniciativas da L’Oréal Brasil

Ingredientes naturais: a importância social e econômica do Babaçu

O Babaçu, palmeira nativa da floresta Amazônica, possui grande importância para a as comunidades locais, pelos seus diferentes usos e oportunidades de geração de renda na aplicação de produtos das áreas alimentícia, cosmética e confecção de artesanato, por exemplo.

O óleo de babaçu é utilizado nos produtos da L’Oréal. Como um óleo natural, ele é bastante conhecido pelas suas propriedades emolientes e condicionantes, e pode ser usado para os cuidados do cabelo e da pele.

A partir de iniciativas de comércio justo, o óleo de babaçu e as amêndoas são adquiridas a um preço justo, junto às quebradeiras de coco babaçu, mulheres que se organizaram para obter o direito de coleta do babaçu e poder tirar seu sustento. O grupo está localizado em 9 regiões polo, formadas por comunidades rurais tradicionais, no estado do Maranhão, em uma importante área de transição entre os biomas Amazônia e Cerrado. O trabalho é realizado em parceria com a Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco (Coppalj) e a Associação em Áreas de Assentamento no Estado do Maranhão (Assema).

A parceria da L’Oréal com a Coppalj e Assema promove ações ambientais por meio da implantação de sistemas produtivos, que auxiliam na restauração e manutenção dos ecossistemas naturais, combinando o plantio de árvores nativas com produção de alimentos, que além de preservar os babaçuais da região, garante renda adicional para as famílias.

Abastecimento Solidário: fortalecimento das comunidades locais

Muitas comunidades da Amazônia dependem da biodiversidade como sua principal fonte de renda e alimentação. Quando cultivadas ou extraídas respeitando o meio ambiente e as comunidades locais, essas matérias-primas proporcionam o desenvolvimento econômico de forma sustentável.

Por isso, a L’Oréal Brasil desenvolve projetos de Abastecimento Solidário que valorizam a biodiversidade brasileira. Em 2020, mais de 270 pessoas foram contempladas nos mais diversos projetos do programa em território nacional, se estendendo para além do território Amazônico. O objetivo é garantir que as matérias-primas utilizadas como ingredientes em seus produtos preservem o meio ambiente, mas também promovam o empoderamento das comunidades locais, proporcionando uma renda justa aos beneficiários.

L’Oréal Para Mulheres: capacitação ambiental e profissional de mulheres

O Grupo L’Oréal está investindo 50 milhões de euros em apoio a projetos de empoderamento feminino, através do fundo L’Oréal Para Mulheres, que tem o objetivo de promover a inclusão social e profissional de mulheres em condição de vulnerabilidade, especialmente no contexto da pandemia da COVID-19.

No Brasil, mais de 500 mulheres de cooperativas produtoras e comunidades indígenas da região Amazônica serão beneficiadas com projetos voltados para o empreendedorismo feminino, através da geração de renda ou para a própria subsistência, em parceria com cooperativas e associações locais.